DF chama crianças e adolescentes para vacinação contra meningite

Após confirmar 107 casos e 14 mortes por meningite em 2023, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal convoca crianças e adolescentes de 11 a 14 anos para se imunizarem contra a doença. A vacina ACWY protege contra os quatro sorotipos de meningite, mas registrou, no ano passado, menos de 35% de cobertura na faixa etária definida – menos da metade da meta de 80%.

Para receber a dose, basta procurar uma das salas de imunização com a caderneta de vacinação em mãos. A ACWY pode ser aplicada junto com qualquer outra dose do calendário básico de vacinação, com exceção da dengue. Uma criança ou adolescente pode, por exemplo, receber  a meningocócica e o imunizante contra o HPV de forma simultânea.

A doença

A meningite se caracteriza pela inflamação nas meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. O quadro pode causar sequelas para o resto da vida e afeta principalmente crianças. Dentre outros agentes, é provocado por vírus e bactérias.

Esquemas vacinais

Os esquemas vacinais contra a meningite vão além da ACWY e incluem ainda as doses BCG e meningocócica C conjugada, ambas no calendário básico de vacinação. “Em cada unidade básica de saúde, é possível solicitar uma análise da caderneta, para verificar se há algum imunizante em atraso”, destacou a secretaria.

Monitoramento e prevenção

Em nota, a Secretaria de Saúde destacou que estabelecimentos de saúde da rede pública e complementar têm a obrigação de notificar casos de meningite. “Quando há confirmação laboratorial de um caso de meningite, a secretaria atua rapidamente para investigar e avaliar a necessidade de medidas de controle.”

De acordo com a avaliação da equipe técnica, em alguns casos, de maneira preventiva, pode haver uso de antibióticos por pessoas próximas aos pacientes.

“A vacinação é apontada como a principal forma de evitar a doença, além de outras medidas gerais para impedir a transmissão da meningite: lavar e higienizar frequentemente as mãos, manter os locais bem ventilados, não compartilhar objetos de uso pessoal e cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar.”

, Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil

Fonte: Agencia Brasil